Qual a melhor forma de estudar?

Qual a melhor forma de estudar?

admin No Comment
Estudos

Quer que eu já comece falando a grande verdade? Lá vai:

Qual a melhor forma de estudar?

– Durante a época de vestibular, concurso público ou qualquer outro exame que você tenha que passar, ligar o “automático” na hora de estudar não vai adiantar em nada!

Acontece que toda a preparação de estudos necessita de uma estratégia prévia de acordo com a base de fontes que você vai utilizar.

Neste vídeo, você vai conseguir entender as regras básicas para aprender muitas coisas rapidamente:

Pronto para se aprofundar? Vamos lá!

Quais são os passos para conseguir estudar?

Segundo alguns professores e diretores de importantes instituições de ensino, é completamente possível estudar sem aplicar nenhum tipo de metodologia específica. Na verdade, você vai acabar gastando muito tempo em adquirir alguma “mágica” para aprender melhor em vez de realmente adquirir algum conhecimento válido.

Imagine que, com o tempo de experimentação, é natural que o ser humano se adapte e evolua naturalmente de acordo com o seu próprio ritmo. No entanto, deve-se estudar algumas outras metodologias para sentir como este desenvolvimento pode ser proveitoso para você (mas sem depender somente disso!).

Para te auxiliar a aprender melhor toda a sua base de estudos, separei alguns passos essenciais para deixar sua captação de conteúdo um pouco mais fluida e clara. Vamos lá?

  •         Comece com um plano: crie um mapa mental

Caso você queira olhar para o seu grande conteúdo de maneira bem mais simplificada e fácil de aprender, deve-se adotar a criação do mapa mental.

De maneira nuclear, trata-se de um diagrama geralmente feito com ícones, palavras e direcionamentos de acordo com cada conteúdo.

Seu principal benefício é a esquematização e possibilidade de criação nas ordens lógicas de informações, colocando algumas em destaque e relacionando-as de maneira bem mais clara.

Engana-se quem pensa no mapa mental como um método para gravar determinada disciplina. Na verdade, trata-se de uma maneira mais simplificada de trabalhá-la de forma mais sistêmica e conceitual, contribuindo completamente para um determinado campo de conhecimento.

Imagine você, neste exato momento, estudando uma matéria que nunca foi bom. Pois é! Sem um mapa mental para você relacionar pontos em comum, vai acabar esquecendo grande parte das informações necessárias para determinado exame. Todo cuidado é pouco.

  •         Filtro sempre

Conseguir manter uma grande atenção dentro de um livro, texto ou artigo obrigatório que não faz parte das disciplinas que você mais gosta é realmente difícil. Perder-se na leitura ou não assimilar nada que está vendo são pontos comuns neste processo.

Uma boa forma para você evitar todo este tempo perdido é o filtro/fichamento. Com ele, é possível focar nos pontos mais importantes do texto, adquirindo todas as informações importantes que você precisa.

Sinceramente? Trata-se de uma das melhores estratégias bibliográficas existentes no mercado. Para isso, tente elaborar um tipo de índice de todas as suas leituras de acordo com o mapa mental que você criou anteriormente.

Fazer um resumo também pode te ajudar neste processo. Tente reescrever, com suas próprias palavras, todo o conteúdo que você conseguiu ler. Nesta fase, tente pensar que você é um autor que deseja traduzir algum tipo de obra.

Fazendo o primeiro e segundo passo, certamente já vai ser um grande avanço para os seus objetivos.

  •         Voltando às tabelas

Preocupar-se na representação das suas informações também é ótimo para você. É uma opção muito válida para conseguir fixar todos os seus conteúdos em algum planejamento sistêmico.

Imagina você, um artista, tendo que estudar assuntos de direito para conseguir passar em um concurso para ganhar melhor. É impossível você ler e compreender todo o conteúdo rapidamente. Para isso, é preciso desenhar toda uma tabela com todas as interconexões entre os tópicos relacionados.

Basicamente, você vai pegar o mapa mental e esquematizar em forma de tabela.

  •         Gravações de vídeos e áudios

Você lembra de tudo que aprendeu no ensino médio e faculdade? Pois é! Certamente que não (nem eu também).

Porém, e se a gente tivesse uma base de dados com todas as aulas que tivemos em vídeo, não seria incrível? A partir de agora, todo o vídeo que você conseguir reunir referente ao assunto que você vai estudar vai ser colocado em uma determinada pasta, ficando disponível para qualquer hora.

Existem realmente pessoas que só conseguem aprender bem com um conteúdo em vídeo ou áudio. Use a tecnologia a seu favor para conseguir chegar nos seus atuais objetivos.

Garanto pra você que estas 4 dicas serão mais que suficiente para te ajudar a aprender.

Deixe um Comentário